34ª Oktoberfest tem como tema Santa Cruz: nossa terra, nossa gente!

Crédito: Rodrigo Assmann

Crédito: Rodrigo Assmann

Maior festa alemã do Rio Grande do Sul acontece de 10 a 21 de outubro de 2018, no Parque da Oktoberfest, em Santa Cruz do Sul

A cerimônia de encerramento da 33ª Oktoberfest e Feirasul, realizada na noite deste domingo, 15, no Pavilhão Central do Parque da Oktoberfest, não só evidenciou os 12 dias da Festa da Alegria em 2017, mas também revelou ao público o tema e a data da próxima edição do evento. A 34ª Oktoberfest e Feirasul acontecem de 10 a 21 de outubro de 2018 com o tema Santa Cruz: nossa terra, nossa gente!. A solenidade contou com a presença da Coordenação Executiva, soberanas, bonecos, bandinha e grupos de dança.

Os professores Nestor Raschen e Mártin Brackmann Goldmeyer são os responsáveis pela pesquisa do tema. De acordo com eles, desde que os primeiros imigrantes alemães chegaram a Picada Velha, no dia 19 de dezembro de 1849, o povoado iniciou um processo de desenvolvimento econômico que rapidamente elevou a Colônia à condição de Freguesia e, em seguida, aconteceu a emancipação política. “O tema Santa Cruz: nossa terra, nossa gente! quer celebrar e comemorar estas grandes conquistas no ano em que completa 140 anos de emancipação política e administrativa”, salientou Raschen.

“A dedicação ao trabalho, o valor da educação, a religiosidade, a ajuda mútua fizeram os imigrantes vencer na nova terra”, explicou Goldmeyer. O desenvolvimento econômico de Santa Cruz se deve muito ao cuidado com a formação de cidadãos com domínio da leitura, da escrita e dos cálculos matemáticos, e com o surgimento dos grupos e atividades culturais, sociedades de cantos, de bolão, de tiro ao alvo. Os cuidados com os jardins e a culinária alemã, incrementada com a mesa farta e as tradicionais cucas, também são heranças dos imigrantes. “No campo da cultura, criaram escolas, clubes, fomentando os valores que trouxeram na sua bagagem. A escola ocupou um lugar privilegiado, fruto disso são as escolas centenárias aqui existentes e a própria Universidade de Santa Cruz”, frisou Raschen.